segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

HOMOSSEXUALIDADE NA TV BRASILEIRA

Pessoal, neste post vou falar sobre um tema para lá de polêmico, já planejado ontem, com a sugestão do Mike. Os homossexuais e a mídia brasileira.


Bom, gente, que os gays estão sendo cada vez mais enfatizados na televisão com intuito de acabar com o preconceito no Brasil, isso podemos afirmar com convicção. Quem não se lembra do cômico Crô, da novela "Fina Estampa", interpretado pelo ator Marcelo Serrado? Ou do point gay da novela "Insensato Coração", que a personagem Sueli (Louise Cardoso) era dona? Ela construíra o quiosque sem saber que o filho Eduardo, interpretado pelo ator (Rodrigo Andrade) era gay. Quando este revela sua condição para a mãe, ela fica pasma e sem saber o que fazer.


A tentativa da mídia em fazer o espectador deixar seus conceitos ignorantes e passar a 'realidade' pode as vezes soar meio duvidosa. Uma questão muito criticada é o beijo gay em novelas. Deve ou não ser mostrado? A família brasileira está ou não preparada para ver isso na televisão? A família brasileira está pronta para ver cenas de violência, mas não uma cena de romance?
As novelas sempre mostram gays estereotipados, efeminados. A televisão está avançando, sim, quando se trata de acabar com pré-julgamentos das pessoas em relação a gays, negros, entre outros. Mas também, está em marcha lenta, uma vez que a 'realidade', como podemos dizer, não está totalmente sendo mostrada.


Houve apenas uma exceção! Na novela chamada "Amor e Revolução", exibida em 2011, pelo canal SBT, as personagens Marcela e Marina, respectivamente interpretadas pelas atrizes Luciana Vendramini e Giselle Tigre, deram o primeiro beijo gay da história da teledramturgia brasileira.



"[...]em duas oportunidades anteriores, um beijo entre duas pessoas do mesmo sexo foi exibido em uma obra de ficção brasileira: em 1963, num teleteatro apresentado pela TV Tupi e em 1990, na minissérie "Mãe de Santo", exibida pela Rede Manchete.", texto extraído do site Wikipédia.
Um grande tentativa de coragem num país onde o preconceito é grande.

Para combater esse preconceito, chamado 'homofobia', o grande movimento no Brasil é a "Parada do Orgulho GLBT", que ocorre uma vez por ano em várias cidades do país. Para promover o fim da homofobia, os filmes brasileiros da atualidade estão enfatizando o tema. Um exemplo disso é o filme dirigido por Aluizio Abranches, intitulado "Do Começo ao Fim". Lançado em 2009, o filme conta com grandes artistas da televisão brasileira, tais como Julia Lemmertz, Fábio Assunção, Louise Cardoso e o ator franco-argentino Jean Pierre Noher. Tem como o 'casal tema' os atores Rafael Cardoso e João Gabriel Vasconcellos.


O filme conta a história de uma mulher chamada Julieta (Julia Lemmertz), que tem dois filhos (Rafael Cardoso e João Gabriel Vasconcellos), cada um com um homem diferente (Fábio Assunção e Jean Pierre Noher). Os dois 'irmãos' se tornam grandes amigos, e quando adultos, essa amizade se tranforma em algo mais profundo.
O filme também trata-se de homossexualidade incestuosa.

O trailer está aqui:


Ainda não tive a oportunidade de assistir ao filme, mas vi algumas cenas. Então não posso dar o meu veredito, mas pretendo assistir agora nas férias.
Enfim, é isso gente. Espero que tenham gostado da matéria. E que reflitam sobre isso, pois homossexualidade existe desde que o mundo é mundo e não deve ser desprezada ou até mesmo tratada como se fosse uma doença. Até porque as pessoas são muito ofuscadas por doutrinas religiosas, mas não será nesse tópico que eu entrarei em detalhes sobre religião.

Beijos, abraços e boa sorte a todos!~
XOXO.

Um comentário:

  1. Gostei muito da sua matéria

    curti o trailer do filme
    e achei o mesmo para download ^^

    ResponderExcluir